Novas tendências do cinema no Brasil

O cinema brasileiro tem cada vez mais o reconhecimento internacional, mas qual é o seu futuro? No livro “Cinema Brasileiro do século 21”, Franthiesco Ballerini faz um resumo da história do cinema brasileiro e tenta descobrir as novas tendências desta arte.

De acordo com Ballerini, as variáveis que determinarão o rumo do cinema são a pressão externa de produtores e distribuidores norteamericanos, a adição de poderosas revoluções tecnológicas que estão por vir, o aumento ou diminuição de salas dedicadas às exibições, à formação de bons roteiristas, fotógrafos, cinegrafistas, editores, diretores e atores, o fator econômico, o preço dos ingressos, etc.

A verdade é que a revolução tecnológica está a mudar o mundo a maneira de ver e fazer cinema. As novas tecnologias têm facilitado a revelação de novos talentos; qualquer pessoa com uma câmera pode ir para a rua e fazer um filme. Esta é uma fase muito promissora, pois por todo o lado surgem jovens a dar cartas nesta área. Esta revolução permite uma descentralização do cinema brasileiro dos grandes polos; a partir de agora, todo o mundo pode fazer cinema desde a Bahia, Minas Gerais ou Brasília. É um passo muito importante para mostrar a riqueza cultural do país.

Uma das categorias que está a despertar a atenção dos cineastas brasileiros são os documentários. O documentário está em alta e já corresponde a uma média de 40% dos fidocumentarieslmes produzidos no país. Este gênero ajuda a mostrar a realidade brasileira, despertando consciências e motivando debates. São exemplos “Vestidas de Noiva”, sobre o casamento homoafetivo, e “Dublê de Eletricista”, sobre as condições dos trabalhadores terceirizados no setor da eletricidade. É uma tendência forte do cinema contemporâneo, e para isso muito têm contribuído os festivais de cinema documentário. Este género está mudando mentalidades e ajudando a criar um cinema forte e renovado, através do trabalho de uma geração de documentaristas bastante talentosa.

--!>